lessphp fatal error: failed to parse passed in variable @bodyBackground: lessphp fatal error: failed to parse passed in variable @bodyBackground:  Especial Bienal do Livro - A Queda da Casa de Usher: Edgar Allan Poe - Abacaxi Voador

Especial Bienal do Livro – A Queda da Casa de Usher: Edgar Allan Poe


Como algumas semanas atrás falei aqui de Lovecraft, resolvi trazer hoje Edgar Allan Poe. Porque a obra de Poe é declaradamente uma das significativas influências na literatura de Lovecraft, e porque os dois autores estão entre os mais importantes para a fundamentação das bases do gênero terror. Desde a virada do século XIX para o XX, período em que viveram e trabalharam os dois autores, muita coisa mudou e foi agregada ao que hoje conhecemos como terror, mas é inegável a influência dos dois autores para o gênero ser o que é. Escolhi A Queda da Casa de Usher pra falar um pouquinho sobre o Poe, porque se trata de um de seus contos mais populares e rende uma boa correlação com os trabalhos de Lovecraft.

Edgar Allan Poe

Em um dia sombrio de outono o protagonista da história está a caminho da mansão da família Usher, atendendo ao chamado de seu amigo de infância, Roderick Usher. Diante da casa, a descrição do nosso narrador é de ‘uma sensação de insuportável tristeza’. Vale aqui um destaque a essa afirmação, porque o conto é todo permeado de impressões semelhantes. As ricas descrições de ambiente, que te fazem se sentir dentro da tal casa de Usher, são sempre acompanhadas de sensações de terror e angústia.

Da mesma forma, quando o protagonista encontra o amigo Roderick Usher, suas afirmações são sempre acompanhadas de uma sensação de ‘piedade e pavor’, como o próprio descreve. O semblante cadavérico e os estranhos hábitos do dono da casa logo chamam a atenção. Não tarda para o sujeito admitir o motivo do convite e suas aflições. Usher queria companhia, e estava certo de padecer de uma loucura que o levaria à morte. Entre as peculiaridades do comportamento de Usher, vale pontuar dois aspectos: suas impressões supersticiosas relativas à casa e uma intolerância profunda a qualquer tipo de música, com exceção de alguns instrumentos de corda.

Em suas primeiras andanças pelos vastos corredores e aposentos da mansão, o protagonista ainda encontra o médico da família e a irmã do amigo, Lady Madeline de Usher. Nas páginas finais do conto (são 27 no total) um outro acontecimento insólito desencadeia os momentos finais da narrativa, que evidentemente eu não vou contar aqui. Basta vocês saberem que o clima soturno se intensifica pelas descrições e sobretudo pelo agravamento do estado de miséria e pavor de Roderick Usher.

Cartaz do filme baseado no conto

Cartaz do filme baseado no conto

No decorrer de toda a narrativa o protagonista pontua uma sensação de angústia profundamente ligada às sensações suscitadas pela experiência de estar ali. O terror está no que se sente e no que se imagina. O que se vê é simplesmente alimento para a imaginação, e nesse aspecto certamente está o ponto de contato mais significativo entre as obras de Poe e Lovecraft. Narradores que a todo momento reafirmam o quanto as situações a que estão expostos geram especulações sobre o terror em si. Um terror menos factual e muito mais psicológico. Roderick Usher está visivelmente consumido por esse terror psicológico.

A queda da casa de Usher foi escrito em 1833 e publicado, junto com outras histórias, no volume Contos do Grotesco e do Arabesco. Mais tarde, em 1848, o livro foi lançado na França, sob a coordenação do poeta Charles Baudelaire, com o título de Histórias Extraordinárias, como é popularmente conhecido até hoje. A queda da casa de Usher é uma das histórias fundamentais da obra de Poe e uma das mais interessantes do livro. Entre suas transposições para outras mídias estão o filme homônimo de 1960 dirigido por Roger Corman, e uma peça musical em 5 partes no álbum Tales of Mystery and Imagination, do Alan Parsons Project, que como o próprio título já esclarece é inteiramente inspirado na obra de Edgar Allan Poe.

Com certeza durante seu passeio no último dia de Bienal você poderá encontrar alguns livros com contos desses grande autor que já foram publicados pela Martin Claret, Melhoramentos ou Companhia de Bolso.

Não deixe de comentar aqui no artigo se você já conhecia Edgar Allan Poe. Se já conhecia, que conto já leu do autor? Ficou com medo?

Igor Oliveira
Pai orgulhoso, nerd fervoroso, cosmopolita convicto. Com três anos de idade passava o dia trocando aquelas fantasias antigas de super-heróis. Hoje, aos 36, é pai do Pedro, namorado da Marina, e coordena o projeto Geek.Etc.Br na Livraria Cultura.